Doença da pulga em gatos – Sintomas, tratamento e prevenção

As pulgas não causam só incômodos e coceiras nos gatos. Elas também são transmissoras de doenças, como a Micoplasma felina ou hemoplasmose,  popularmente conhecida como doença da pulga.

Doença da pulga em gatos
Além de causar muito incômodo, as pulgas são responsáveis pela transmissão de doenças, entre elas a doenças da pulga ou micoplasma

A doença da pulga ou   Micoplasma em gatos é causada pela bactéria Mycoplasma haemofelis .

A transmissão pode ocorrer principalmente pela picada de pulgas. Os carrapatos também podem ser transmissores, em incidência menor. Outras formas de contagio são as mordidas de outro gato infectado e também através das mamães para seus filhotes durante a gestação ou pela transfusão de sangue.

 

No entanto, de todas as formas de transmissão, as picadas das pulgas é a principal. Por isso é conhecida como doença de pulga em gatos.

Principais sintomas da doença da pulga

Um dos principais sintomas da doença da pulga em gatos é uma anemia hemolítica aguda a crônica.

Ocorre também a perda de apetite e peso, febre, membranas mucosas pálidas ou amareladas, fraqueza, dores articulares, desidratação, entre outros.

 

Mesmo doentes, os gatos podem continuar alertas e moderadamente ativos, aparentando, porém, sinais de depressão.

Podem ocorrer casos de animais assintomáticos, ou seja, que não manifestem sintomas, mesmo estando com a doença.

Um grande risco da doença da pulga, é que ela pode não apresentar sintomas durante algumas semanas.

Geralmente os sintomas só começam depois de haver a infecção de uma grande quantidade de glóbulos vermelhos.

Transmissão da doença da pulga

A bactéria Mycoplasma haemofelis, causadora da doença da pulga em gatos é transmitida principalmente pela picada das pulgas.

Outras formas de transmissão são os carrapatos, mordida de outro gato infectado e também através das mamães para seus filhotes durante a gestação ou pela transfusão de sangue.

No caso da transfusão é muito raro ocorrer, pois normalmente os gatos doadores de sangue passam por vários exames antes da doação.

No entanto, de todas as formas de transmissão, as picadas das pulgas é a principal, por isso é conhecida como doença de pulga.

Doença da pulga – prevenção

Sendo a pulga um dos principais vetores, não precisamos frisar que o controle desses parasitas no gato é primordial.

Dicas e sugestão de enriquecimento ambiental para gatos

Existem muitos produtos próprios para manterem as pulgas longe do seu gato, no entanto, é preciso muito cuidado na escolha.

Gatos são animais sensíveis a muitos produtos, nem tudo que é usado em outros animais domésticos pode ser usado em gatos, principalmente tratamento com produtos caseiros.

O ideal é que você se informe antes com um médico veterinário para saber qual o melhor produto que pode ser usado em gatos, e que realmente mantenham as pulgas bem longe.

Outro fator de risco na transmissão da doença da pulga em gatos são as “voltinhas” na rua que muitos tutores permitem.

Nas ruas, os gatos ficam expostos, tanto a infestação de pulgas e carrapatos, como o contato com outros gatos infectados.

Se você alega que não consegue impedir que seu gato saia para a rua, leia aqui como manter seu gato feliz longe das ruas.

Tratamento para doença da pulga

A primeira coisa que você deve saber, é que não existe tratamento caseiro para doença da pulga, somente o médico veterinário pode realizar o diagnóstico preciso e prescrever o tratamento correto.

Acne felina – causas e tratamento

Não brinque com a saúde do seu gatinho, a doença da pulga não tratada corretamente pode se tornar grave e levar o animal à morte.

Notando qualquer sinal descrito acima você deve levar imediatamente seu animal ao médico veterinário.

Após realização de exames, o veterinário deverá prescrever medicamentos para eliminar as bactérias.

Dependendo do nível da infecção e também do animal, pois os organismos dos animais podem reagir de formar diferentes, o tratamento oferecido a um gato com doença da pulga pode não ser o mesmo usado em outro animal.

Dependendo do estágio da doença, pode haver a necessidade de uma transfusão de sangue.

A boa notícia é que geralmente os gatos respondem bem ao tratamento, mas deverão ser monitorados por um tempo.

Muita atenção: O tratamento errado pode retardar a cura, piorar a doença e levar o animal à morte.

 

 

 

Fontes: [Vetinfoco-Artigo]

 

 

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: